História

Multithumb found errors on this page:

There was a problem loading image /home/aspapi/www/media/images/puebloan_canyonlands.jpg

Há  autores como Tavares Junior que dividem a história da Datiloscopia em três períodos distintos:

-Período Pré-Histórico;

-Período Empírico;

-Período Científico.

No Período Pré-Histórico observamos que o homem primitivo, muitas vezes, utilizava a técnica de decalque da palma da mão nas cavernas onde habitava e costumava, também, marcar os objetos que usava. O método usado se perfazia sobre a argila, onde se podia identificar as cristas e sulcos papilares com as suas características digitais.

No Período Empírico, chineses, japoneses e indianos utilizavam a prática de apor o polegar direito com tinta em contratos: certidões de divórcio. Não se sabe ao certo se estes povos sabiam ou não da singularidade de tais desenhos. O que se pode afirmar, isto sim, é que tanto no Período Pré-Histórico como no Período Empírico, não havia formalmente um estudo de trabalho sobre identificação digital. Estas não passavam de borrões inclassificáveis (TAVARES JUNIOR, 1991).

b_300_200_16777215_00___media_images_marcelo_malpighi.jpgJá no Período Científico se estabelece um estudo científico das papilas. Este Período tem  como precursor o anatomista J. Marcello Malpighi e como responsável de sistematizar e classificar tal ciência, Juan Vucetich.

Em l664, J. Marcello Malpighi, anatomista italiano nascido em Grevalcuore - Bolonha em 1629, publicou o livro “Epistola Sobre o Órgão Externo do Tato’’.  Neste, o médico italiano faz um estudo das papilas da palma da mão e extremidades dos dedos.

Analisando os arabescos das extremidades dos dedos, salienta:

Analysando a extremidade do dedo, observo innumeras linhas dispostas quase em circulo ou em espiral. Por fim, examino as mãos, em cujas palmas há linhas que descrevem variadas figuras, e que, nas phalanges terminaes dos dedos, se acham dispostas em espiral, e, observadas ao microscópio, apresentam os orifícios sudoríparos” (VIOTTI, 1935).

Em 1701 os estudos papilares são impulsionados por Frederico Ruyscjh, anatomista holandês, nascido em Haya em 1638. Em 1701 lançou a obra “Thesouros Anatômicos”. É uma continuação dos  estudos de Malpighi.

De 1726 a 1734 são publicadas por Bernardo Sigifredo, também conhecido por Albinus, anatomista alemão nascido em Frankfurt no ano de 1696, as seguintes obras: “Tratado dos Ossos do Corpo Humano”  e “História dos Músculos do Homem’’.  Estas duas obras, datadas de 1726 e 1734, respectivamente, foram consideradas as melhores de seu tempo (VIOTTI, 1935).

Em 1751, Cristiano Jacob Hintze publicou a obra “Exemen anatomicum papillarum cutis tactui inserventium”. Neste trabalho se dava a continuação aos estudos papilares das mãos e das plantas dos pés.||| PURKINJE

b_300_200_16777215_00___media_images_william_hershel.jpgWilliam Hershel, no período de 1858 a 1878, verificou a imutabilidade das impressões digitais após observar as que retirava de nativos. Faz comunicado importante no ano de 1880, mais precisamente no dia 25 de novembro, na revista “In Natura” sob o título “Os Sulcos Cutâneos da mão”:

da identidade do indivíduo, que o diretor lhes “Permitta-me contribuir com os dados em meu poder para completar o estudo empreendido por vosso correspondente no Japão.

Appliquei ‘com firmas’ as impressões digitais durante mais de 20 anos, e as introduzi para fins práticos, sob várias feições, com assignalado proveito, na Índia, como funcionário da ‘Bengal Service’ em Hoogly.

Meu objectivo era impedir todo êxito a qualquer tentativa de mystificação de pessoas ou de negação de firmas, onde quer que fosse applicavel o methodo.

1. Primeiro, usei-o para os pensionistas, cuja vitalidade constitui sempre um prooblema intrincadíssimo para o governo em todos os países, quando vi resolvidos todos os casos, que podiam dar lugar ãs suspeitas, appliquei, o methodo em escala mais ampla, nas dipherentes repartições de registro a meu cargo, e tive a satisfação de ouvir de todos os meus funcionários a delaração de que o uso dessa espécie de ‘firma’ havia dado um golpe radical na desconfiança que pesava sempre sobre essas repartições indianas.

2.  Pus termo absoluto e completo a idéia de substituição de pessoas ou denegação de firmas.

3. Introduzi-as , em seguida ‘nos cárceres’, onde , tampouco , foram inúteis. No momento de ser encarcerado, todo preso era obrigado a ‘firmar’ com o dedo. Por esse meio, os inspectores das prisões puderam convencer-se , desde logo,  appresentava..

A facilidade com que se toma a ‘firma’, a impossibilidade absoluta de toda e qualquer substituição de pessoa ou denegação de identidade, são tão grandes, que eu acredito sinceramente que a adaptação do methodo em estabelecimentos e profissões onde essa classe de fraudes está no auge, é um benefício formal para a moralidade.

Posso acrescentar que, comparando as ‘firmas’ actuais  de alguma pessoas com suas firmas de há 20 anos passados, pude averiguar que esse lapso de tempo não produziu material que altere a utilidade do sistema’’ (VIOTTI, 1935).

b_300_200_16777215_00___media_images_henry_faulds.gifHenry Faulds, no ano de 1879, após exames feitos em cerâmicas pré-históricas japonesas descobre debuxos digitais gravadas nas mesmas. Este médico inglês radicado no Japão, foi ex-cirurgião chefe do hospital Tsukiji em Tókio, no Japão (VIOTTI, 1935).

Faulds, em 15 de fevereiro de 1880, redige uma carta a Charles Darwin relatando as observações feitas sobre os sulcos papilares e se mostra interessado em confronta-los com os do macaco, pois achava haver alguma semelhança entre estes. Em resposta a carta do referido médico, Darwin explica os problemas de saúde  no que vem passando e a impossibilidade de contribuir com as pesquisas de Faulds, mas indica seu sobrinho Dr. F. Galton para contribuir com as pesquisas a serem realizadas. A revista londrina ‘’Nature’’ em 28 de outubro de 1889 , sob o título ‘’On the Skin fur Row of the Hands’’ publica a carta de Faulds.

Resumo dos estudos de Faulds:

- Com a utilização de lentes de aumento poderemos observar nos desenhos digitais linhas que se bifurcam, que se empalmam, que terminam etc.;

-  Nos desenhos podia-se notar certa variedade de forma como arco, laço e torvelinos;

-  A colheita das impressões se dava por meio de tinta que se passava nas pontas dos dedos e se fazia apoiar sobre um papel levemente umedecido.  Um rolo era utilizado para “sujar” os dedos com tinta;

-  Por meio de tintas de outras cores poder-se-ia se surpreender com delicadíssimas impressões digitais coletadas sobre vidro;

- As digitais serviriam de grande utilidade em matéria de prova judiciária;

-  Que grandes vantagens se obteria caso colocasse as impressões digitais ao lado da identificação fotográfica do delinqüente sempre se observando a imutabilidade de  tais estrias dactilares (VIOTTI,1935).

Herschel e Faulds nunca chegaram num acordo sobre qual dos dois foi o primeiro a buscar na Datiloscopia um sistema de identificação.

Arthur Kolmam, no ano de 1883, estudou os poros localizados nas cristas papilares como elementos de identificação. Estudando os desenhos papilares, afirmava existirem desde o sexto mês de vida fetal (TAVARES JUNIOR, 1991).

Sir%20Francis%20Galton.gifEm 1888, Francis Galton, sobrinho de Charles Darwin, cientista inglês, graduado em Medicina pela Universidade de Cambridge, elaborou importante estudo papilar no qual deu o nome de galtonismo. Referido sistema era produzido da seguinte forma:

- Existe perenidade das linhas papilares após o sexto mês de vida fetal;

- As linhas papilares são individuais, ou seja, cada indivíduo possui as suas características. É o princípio da variabilidade;

- Estabelece em três os tipos fundamentais;

- Presilhas;

- Arcos;

- Verticilos.

b_300_200_16777215_00___media_images_bertillon.jpgEm 1882, em Paris, Bertillom lança o método Antropométrico como um grande caminho   para  uma identificação judiciária (CROCE JUNIOR, 1995).

Na verdade, este método foi elaborado e apresentado no ano de 1878. Em 1882 entrou em prova, tendo sido adotado oficialmente em 1893 pela prefeitura de  Polícia de Paris (FÁVERO, 1975).

A bertilhonagem traz consigo três espécies de assinalamentos: o antropométrico, o descritivo e o de particularidades. No  sistema antropométrico se obtia requisitos essenciais como unicidade, imutabilidade, praticabilidade e classificabilidade (CAMARGO JUNIOR, 1984). Neste método se tirava certas medidas do corpo (FÁVERO, 1975).

Bertillon levava em conta quatro grandes características que se perfaziam em seu método:

- Os  ossos se tornam fixos após determinada idade, ou seja, aos 20  anos;

- A facilidade de medir com  precisão certas partes do corpo;

- A  variabilidade das dimensões do esqueleto humano, de um indivíduo  para outro;

- A  simplicidade de classificação.

Quetelet afirmava que a probabilidade das pessoas terem a mesma altura  é de uma para quatro indivíduos. Bertillon tirava medidas da altura, diâmetro-posterior da cabeça, diâmetro-suparetal, diâmetro bizogomático, busto , dedos etc.

No retrato falado, ou sistema descritivo, havia um retrato do indivíduo, sempre tirado na mesma distância para que não houvesse distorções de um indivíduo  para o outro. 

Os elementos do retrato falado  eram a fonte, o nariz, a orelha, lábios , boca, queixo, contornos do perfil e da face, sobrancelhas, pálpebras , globos oculares e orbitais, rugas, sistema piloto, membros superiores e inferiores, características gerais, idade aparente.

“O  retrato falado não é meio de prova, é tão-somente um importante método auxiliar nas investigações policiais”(CROCE JUNIOR, 1995).

b_300_200_16777215_00___media_images_juan_vucetich_1891.gifJuan Vucetich, nascido na Áustria, viajou para a Argentina me 1884, naturalizando-se cidadão argentino em 1888. Foi chefe da Oficina de Identificação  inaugurada em La Plata no ano de 1891. (CAMARGO JUNIOR, 1984).

Vucetich, tomando conhecimento dos trabalhos de Galton, resolve desenvolver um método de classificação para os dígitos papilares. Moderniza os estudos utilizando uma classificação de quatro tipos fundamentais: arco, presilha interna, presilha externa e verticilo. É o método mais seguro de identificação já visto.

Vucetich foi o primeiro cientista a resolver um caso prático de homicídio, calcado na impressão  digital.

Na cidade de Nicochêa, província de Buenos Aires, Francisca Rojas acusa seu vizinho de assassinar seus dois filhos menores. Descobre-se entre os vestígios deixados no local de crime, impressões digitais localizadas na porta de sua casa, calcadas com sangue . Após a analise destas, chegou-se a conclusão  que o verdadeiro assassino nada mais era do que Francisca Rojas, mãe dos impúberes (TAVARES JUNIOR, 1991).

O Brasil adotou o sistema datiloscópico em 23.12.1902 (L. 947), regulamentado pelo Decreto de cinco de fevereiro de 1903.

Países como Chile, França, Bélgica, Romênia, Espanha, Cuba, Uruguai, Itália, Portugal e Dinamarca também  utilizam o método datiloscópico para identificação judiciária.

Congresso