NOTA DE REPÚDIO À DIREÇÃO DO DEPARTAMENTO DE IDENTIFICAÇÃO-IGP/RS


Diante do recebimento de reclamações dos Papiloscopistas dos Postos do Interior-DI/IGP, em relação ao encaminhamento do memorando 14106/2013-DI/IGP, datado de 21 de maio de 2013, que trata do atendimento à Ordem de Serviço 001/2011 DI/IGP, a Associação dos Papiloscopistas do Rio Grande do Sul- ASPAPI/RS resolve emitir:

NOTA DE REPÚDIO À DIREÇÃO DO DEPARTAMENTO DE IDENTIFICAÇÃO-IGP/RS, pelo uso desproporcional de intimidações contidas no mesmo, direcionadas aos Papiloscopistas que porventura não cumprirem as determinações emanadas na ordem de Serviço Nº 001/2011. Ora, se o servidor público tem o dever de observar as normas legais e regulamentares( Inciso V do art. 177 da Lei Nº 10.098, de 03 de fevereiro de 1994-ESTATUTO DO SERVIDOR PÚBLICO), desnecessária se faz a inserção no corpo do memorando que aos Papiloscopistas descumpridores da ordem, responderão à Corregedoria por eventuais falhas funcionais.


As grandes perguntas que fazemos são: por que a partir de agora e não desde da entrada em vigência dessa ordem? Onde está a responsabilidade dos chefes que não fizeram cumprir essa ordem e a partir de agora querem cobrar e responsabilizar os Papiloscopistas pelos atrasos na entrega das CIs.

Achamos inclusive que os chefes responsáveis pela aferição do cumprimento da ordem deveriam ser ouvidos pela Corregedoria por eventuais omissões nesse controle da classificação dos prontuários, pois eles têm o dever legal de fazer cumprir a mesma.


Casualmente, o memorando está datado do dia 21 de maio de 2013, mesmo dia que foi publicada na imprensa a matéria em que a ASPAPI/RS denunciou a falta de Papiloscopistas e que entre as consequências dessa defasagem estava o atraso dos prazos de entrega das carteiras de identidade. Assim sendo, prova que a Direção do DI/IGP quer corroborar com as afirmações da Direção do IGP/RS que o problema não está na falta de servidores e sim está justificado pela falta de automatização do sistema que irá suprir em breve essa MÃO-DE-OBRA que não consegue cumprir com suas obrigações.


Diante dessas evidências, rechaçamos toda e qualquer ação intimidatória que queira transferir a responsabilidade das mazelas enfrentadas no Departamento de Identificação/IGP, como forma de mascarar a falta de Papiloscopistas, principal motivo do atraso nos prazos das carteiras de identidade e dos outros problemas denunciados pela ASPAPI/RS.

DIRETORIA-EXECUTIVA DA ASPAPI/RS CONCEDE ENTREVISTA AO PROGRAMA BOM DIA RIO GRANDE DA RBS TV. ASSUNTO: FALTA DE PAPILOSCOPISTAS NO QUADRO DO IGP/RS

DIRETORIA-EXECUTIVA DA ASPAPI/RS CONCEDE ENTREVISTA AO PROGRAMA BOM DIA RIO GRANDE DA RBS TV. ASSUNTO: FALTA DE PAPILOSCOPISTAS NO QUADRO DO IGP/RS

Nesta terçe-feira (21/5), a Diretoria-Executiva da ASPAPI/RS concedeu entrevista ao programa Bom Dia Rio Grande- RBS TV, onde foi tema principal, a falta de Papiloscopistas no Instituto-Geral de Perícias-IGP/RS.
Por ocasião dessa entrevista, o Presidente da ASPAPI/RS, Papiloscopista, Guilherme Ferreira Lopes afirmou que a defasagem de efetivo na área da papiloscopia no Rio Grande do Sul ( das 442 vagas existentes no quadro, apenas 178 estão providas) está ocasionando sérios prejuízos  à sociedade gaúcha, pois os principais serviços realizados pelos Papiloscopistas-IGP/RS estão totalmente comprometidos pela falta desses profissionais, sendo que o resultado dessa defasagem pode ser vista em várias áreas de atuação dos Papiloscopistas:

Área Civil:
os prazos de entrega das carteiras de identidade ao cidadão gaúcho triplicaram em relação ao ano de 2010, atualmente o prazo nas regionias do Departamento de Identificação- IGP/RS está em 15 (QUINZE) dias úteis, sendo que em 2010 esse prazo encontrava-se em 5 ( CINCO) dias úteis, sendo o principal motivo desse atraso, a falta de Papiloscopistas para analisar e periciar as impressões digitais dos requerentes desse documento tão imprescindível ao exercício da cidadania;

Área Criminal:
as perícias papiloscópicas estão se amontoando na Divisão de Perícias Papiloscópicas do Departamento de Identificação-IGP/RS e não por falta de empenho, capacidade e tecnologia. Ocorre que para analisar e periciar os fragmentos de impressões digitais e objetos encaminhados pelos Papiloscopistas plantonistas DI e DC e das Regionais e PIs do DI-IGP/RS, dispomos de apenas 11 (ONZE) Papiloscopistas para esse serviço, numa demanda média de  70 (SETENTA) solicitações de perícias por dia. Óbvio que o quadro não poderia ser diferente do que apresentado
Essa situação não é pior, porque nosso efetivo de Papiloscopistas que atendem esses locais de crime está defasado em 60% em sua capacidade de atendimento, representando atrasos e muitas vezes a não realização de determinadas perícias papiloscópicas, que com certeza traz sérios prejuízos a persecução penal.

Segundo o Presidente da ASPAPI/RS, pior que esse quadro, somente as considerações emitidas em nota oficial pelo IGP/RS que por sua vez tenta mascarar a realidade da papiloscopia, dizendo que a situação está sob controle e que o número de Papiloscopistas é adequado às necessidades de serviço, inclusive afirmando que a automatização do sistema irá resolver as pendências e também irá suprir a "MÃO-DE-OBRA" atual, tratando a categoria dos Papiloscopistas como aquelas que atuam de forma rudimentar, sem qualificação e  totalmente desprovida de importância.
Nesse entendimento, qualquer pessoa de inteligência mediana saberá distinguir que nenhuma automatização irá substituir o Papiloscopista, tampouco resolverá os problemas apresentados, que só se resolverá com a nomeação de Papiloscopistas para suprirem as vagas onde estamos com essas carências.

Por derradeiro, Guilherme Lopes espera que o Governo do Estado se sensibilize dessas dificuldades e autorize o chamamento imediato dos 31 (TRINTA E UM) candidatos aptos a ingressarem na terceira fase do concurso público em andamento e consequentemente sejam nomeados a fim de ingressarem nos quadros funcionais do IGP/RS, bem como autorize também a abertura de novo concurso público para a nomeação de todas as vagas existentes na letra inicial de nossa categoria, hoje com aproximadamente 90 vagas disponíveis.

Chegou o momento de todos os Papiloscopistas dizerem um BASTA a essas intolerâncias do IGP/RS com nossa categoria, chega de ficarmos calados com esse descaso a uma categoria que muito contribui e muito contribuirá para a ascensão da perícia oficial gaúcha.

Abraço a todos os Papiloscopistas que apesar das dificuldades, conseguem elevar o nome de nossa categoria como sinônimo de dedicação e de capacidade, tão necessárias para o fiel cumprimento das nossas atribuições.

Ver Links

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/bom-dia-rio-grande/videos/t/edicoes/v/quadro-defasado-de-papiloscopistas-do-rs-afeta-conclusao-de-pericias-criminais/2586596/

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/bom-dia-rio-grande/videos/t/edicoes/v/claudio-brito-comenta-defasagem-no-quadro-de-papiloscopistas-no-rs/2586723

Atenciosamente,


 

IMPRESSÕES DIGITAIS FORAM DETERMINANTES PARA PRISÃO DE SUSPEITO DE MATAR TAXISTAS EM SANTANA DO LIVRAMENTO/RS E PORTO ALEGRE/RS

b_200_150_16777215_00___media_images_imagesCAZKDO5W.jpgNa manhã de ontem (14/4), a cúpula da Secretaria de Segurança Pública/RS concedeu entrevista coletiva confirmando que os fragmentos de impressões digitais encontrados no Fiat/Elba de uma das vítimas possuiam identidade papiloscópica em nome do suspeito de matar seis taxistas em março.
Essa notícia vem confirmar a importância dessa prova científica na elucidação de crimes, sendo que nesse caso ela foi preponderante para o convencimento policial em solicitar a prisão temporária do principal suspeito desses crimes.
Diante dessa notícia, não poderíamos deixar de registrar a nossa satisfação em ter aqui no estado do Rio Grande do Sul, um dos melhores índices de identificação de indivíduos por impressões digitais em locais de crimes no Brasil, graças ao trabalho destacado dos Papiloscopistas do IGP/RS que através do exercício das perícias papiloscópicas estão contribuindo com destaque como auxiliares da justiça na resolução desses crimes.
Aliás, chegou a hora do Governo Estadual valorizar nossas atribuições como imprescindíveis ao exercício da perícia criminal no Estado do Rio Grande do Sul, reconhecendo-as como parte integrante do quadro de nível superior do IGP/RS com todas as consequências técnicas e administrativas necessárias para esse enquadramento, haja vista a iminência do novo Plano de Carreira dos servidores do IGP/RS que está sendo elaborado, junto à Secretaria de Administração e Recursos Humanos/ SARH-RS.

PARABÉNS A TODOS OS PAPILOSCOPISTAS PELA EXCELÊNCIA DOS TRABALHOS REALIZADOS EM PROL DA SOCIEDADE!

PAPILOSCOPISTA FAZ PERÍCIA OFICIAL;

PAPILOSCOPISTA É PERITO OFICIAL!

PERITO PAPILOSCOPISTA JÁ!

ASPAPI/RS FIRMA CONVÊNIO COM ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA

b_200_150_16777215_00___media_images_WP_000567.jpg

Na manhã de hoje (02/4), na sede de nossa entidade, a Diretoria da ASPAPI/RS  firmou convênio com o escritório de advocacia do Dr. Rogério Campos Maister, visando oferecer sem ônus aos associados da ASPAPI/RS, serviços de consultoria jurídica que envolvam ações na área do Direito Administrativo, tais como: acompanhamento e defesa em sindicâncias, PADs e seus desdobramentos (recursos administrativos, judiciais,  mandados de segurança, entre outros).

Além disso, o escritório de advocacia estará à disposição dos associados nas demais áreas do Direito, sem cobrança de consulta  e oferecendo  descontos nos honorários  para aqueles que optarem pelo ajuizamento de ações na esfera judicial, através dessa parceria.

Os associados que tiverem interesse em contatar com o escritório, devem  ligar para o telefone: 51 99164389 e marcar sua consulta na sede da ASPAPI/RS, sempre às quartas-feiras no turno da tarde, onde o Dr. Rogério irá atender nossos associados com total privacidade e profissionalismo, tão necessários nessas ocasiões.

ASPAPI/RS TRABALHANDO PARA O ASSOCIADO!

FILIE-SE E APROVEITE AS VANTAGENS DE SER UM PAPILOSCOPISTA ASSOCIADO!

SEGUEM CURRÍCULO E APRESENTAÇÃO DO DR. ROGÉRIO MAISTER:

TEXTO DE APRESENTAÇÃO

Advogado formado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, em 1998, Dr. Rogério de Campos Maister construiu, ao longo de quinze anos, uma sólida carreira profissional, tendo atuado em, praticamente, todas as áreas do direito. Ingressou no SEBRAE/RS em 2001, na condição de procurador, atuando na área do Direito do Trabalho e na emissão de pareceres jurídicos, sobre os mais variados temas, dentre os quais: Direito do Trabalho, Direito Administrativo, Licitações e Contratos e demais demandas atinentes às micro e pequenas empresas do Estado do Rio Grande do Sul, permanecendo na instituição até novembro de 2003.  Em seguida, dedicou-se à advocacia pura, em escritório próprio, localizado na Avenida Cristóvão Colombo. Foi nomeado Conselheiro do Conselho de Tráfego do DAER, em 2004, pelo então Governador Germano Rigotto e, posteriormente foi reconduzido ao cargo pela Governadora Yeda Crusius, ficando no conselho até meados de 2008. Papiloscopista, lotado no Departamento de Identificação, por onze anos, permaneceu no cargo até a exoneração, a pedido, em 2000. Teve atividade docente em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, em razão de ter cursado, também na PUC, Licenciatura em Letras, em 1983. Atuou junto à Promotoria Criminal, realizando triagem aos Promotores de Justiça, através da oitiva das partes, no âmbito do Ministério Público. Como advogado, trabalha, fundamentalmente, com os contenciosos cíveis e de família, trabalhistas, tributários e societários. Exerceu advocacia em três outros escritórios, a saber: Janise Koeler Ribeiro, Advogados; Hermes Fernandes Gomes Filho, Advogados e Marcelo Carlet Ferreira, Advocacia Criminal. Sempre em busca de constante especialização, realizou diversos cursos, como forma de atingir excelência, agilidade e transparência na condução dos processos sob seu patrocínio. A dinâmica das questões familiares impõe ao profissional um permanente exercício de atualização, fazendo com que esteja atento às transformações sociais. Advogando com extremo profissionalismo, Dr. Rogério de Campos Maister está apto a oferecer aos associados da ASPAPI,  soluções inovadoras nas causas em que atua, demonstrando conhecimento e raciocínio jurídico acima da média. Ingressa na ASPAPI para contribuir com uma atuação baseada na mais rija experiência, no tocante à administração das demandas a seu cargo, imprimindo um manejo objetivo, técnico e profissional, voltado à plena satisfação de nossos associados.

ASPAPI/RS INICIA RODADA DE NEGOCIAÇÃO DO NOVO PLANO DE CARREIRA/IGP, JUNTO À CASA CIVIL/RS

b_200_150_16777215_00___media_images_casa_civil.pngApós esgotadas as negociações com a Direção-Geral/IGP-RS em relação ao novo Plano de Carreira/IGP-RS, sem avançarmos em nossas propostas, iniciamos ontem( 06/3) uma nova rodada de negociação, junto à Casa Civil/RS, onde o Governo do Estado se comprometeu em receber as propostas das entidades representativas dos servidores/IGP-RS e inclui-las numa mesa de negociação a partir do próximo dia 15/3( 1ª reunião do grupo que irá debater nosso plano: Casa Civil, Entidades de Classe/IGP, CODIPE, SEFAZ e PGE).
Diante do compromisso firmado que iremos apresentar, justificar e principalmente receber as respostas das nossas propostas( AGE datada de 31/10/2012, ainda em aberto) perante esse grupo de trabalho heterogêneo, esperamos que as nossas reivindicações possam ser recebidas com imparcialidade e direcionadas ao interesse público e não por interesses corporativistas que venham prejudicar o crescimento científico e funcional de nossa instituição.

A partir desse momento, pedimos a todos os Papiloscopistas que fiquem mobilizados em suas bases, aguardando nova convocação de AGE que deverá oficializar nossa resposta em contrapartida ao que será proposto pelo Governo Estadual, após o término dessas reuniões.


VAMOS MOSTRAR NOSSA FORÇA!

Congresso

XIII Congresso Brasileiro de Papiloscopia, Perícia Papiloscópica e Necropapiloscópica